Entre em contato conosco para mais informações

Quer saber mais sobre este produto?

Contato conosco

Tomando uma caminhada ao longo da Bottom Line (retorno sobre o investimento com computadores de mão robustos)

DESAFIO

Encontrar uma maneira de completar com sucesso um projeto de coleta de dados de campo maciça, em longo prazo e de trabalho intensivo, ao mesmo tempo em que se reduz o orçamento.

SOLUÇÃO

Mudar, de um processo de coleta de dados arcaico e dispendioso de tempo, baseado em papel, para um sistema digital utilizando tablet PCs móveis Algiz 7 robustos e software GeoField personalizado.

RESULTADO

Um processo racionalizado que aumenta a precisão, reduz as necessidades de tempo e trabalho no campo, acelera a melhoria ambiental fornecendo melhores dados mais rapidamente e em um formato mais utilizável, e proporciona uma economia de mais de 80 por cento nos custos trabalhistas.

 

Agência de Proteção Ambiental da Escócia usa a tecnologia móvel para poupar dinheiro em um projeto de longo prazo de coleta de dados de campo.

Existem muitas razões para as organizações adotarem novas tecnologias. Os mais recentes dispositivos de alta tecnologia podem tornar os processos mais fáceis, mais rápidos, mais precisos e mais seguros. E há ainda a simples satisfação que alguns têm em possuir o que há de mais novo. Mas no final, há uma razão imperativa para investir em nova tecnologia: o resultado. O retorno sobre o investimento é a chave, logo, a nova tecnologia faz o maior sentido quando pode economizar muito dinheiro.

Essa foi a conclusão que levou a Agência de Proteção Ambiental Escocesa (SEPA) a investir em mais de duas dúzias de tablet PCs Handheld Algiz 7 robustos para coletar dados para um projeto-piloto de avaliação da poluição. Diante de um empreendimento monumental no meio de cortes no orçamento, a SEPA está usando uma nova tecnologia que potencialmente economizará mais de £ 700.000 apenas nos três primeiros anos de um projeto de 15 anos.

OS DADOS SÃO A CHAVE PARA MELHORAR OS CURSOS D'ÁGUA

A SEPA é o regulador ambiental da Escócia, com 1.000 funcionários em 22 escritórios locais, encarregados de proteger e melhorar os 78.000 quilômetros quadrados de área do país, que incluem 25.000 lochs (lagos) e mais de 125.000 quilômetros de rios e córregos.

Quase três quartos das terras do país são de uso agrícola, e o principal problema ambiental do país é a poluição difusa das atividades agrícolas. Isto é especialmente verdadeiro para os cursos d'água da Escócia. E, enquanto 63 por cento deles são classificados como estando em boas condições, no âmbito da Diretiva-Quadro da Água da União Européia, o governo Escocês se comprometeu a elevar este número para 98 por cento em 2027.

A SEPA identificou 102 "bacias prioritárias" – regiões de cursos d'água que necessitam de remediação conforme este plano ambicioso. E o primeiro passo é identificar e classificar os tipos e fontes de poluição ao longo de cada quilômetro dos cursos d'água envolvidos. Isso exigirá algum trabalho sério de campo: A equipe da SEPA vai percorrer a rede hidrográfica realizando o levantamento de cada bacia, e também irá realizar inspeções da exploração agrícola em toda a Escócia.

As primeiras 14 bacias hidrográficas prioritárias estão programadas para serem concluídas até 2015. Mas todo esse trabalho deve ser feito dentro do clima atual de cortes severos nos gastos do setor público, que incluem uma redução de 20 por cento do pessoal.

UM PROJETO-PILOTO PARA TESTAR A MELHOR MANEIRA

O Dr.Jonathan Bowes é um Analista Sênior/Modelador da SEPA, especializado em dados SIG relacionados com a poluição difusa. Como líder dos esforços de coleta de dados para este projeto, ele imediatamente viu um grande problema com o atual estado de coisas - e tecnologia: as quantidades maciças de dados de campo necessários estavam sendo recolhidos e registrados à mão. O pessoal de campo teria que andar a bacia inteira, registrando práticas agrícolas não-conformes (55 tipos diferentes), bem como outros detalhes como espécies não-nativas e configurações de cercas... no papel. Em seguida, os dados teriam de ser organizados e inseridos manualmente no sistema do computador central da SEPA. Uma tarefa extremamente demorada.

Como especialista em SIG, Jonathan reconheceu as vantagens potenciais da utilização da tecnologia para agilizar o processo. "O volume previsto de burocracia envolvida neste exercício desencadeou a necessidade de uma mudança fundamental na forma como a SEPA coleta dados", disse.

Então a SEPA desenvolveu um projeto-piloto para testar a eficiência e a redução de custos na utilização de computadores de mãos robustos no campo, equipados com softwares específicos para o projeto que deveriam eliminar o papel, e a papelada, da equação. A Bacia Prioritária de South Esk foi escolhida como área piloto para avaliar a tecnologia digital de captura de dado, em paralelo com os métodos existentes.

ENCONTRANDO AS MELHORES FERRAMENTAS PARA O TRABALHO

Para garantir que o piloto não apenas comprovaria a maior eficiência da coleta de dados digital, mas também identificaria as melhores ferramentas que seriam usadas para fazê-lo, a SEPA procurou os recursos adequados. A SEPA utilizou um processo de contratação aberto, para selecionar a solução de mapeamento de campo e coleta de dados GeoField da Sigma Seven, e escolheu computadores de mão robustos de três fabricantes distintos para serem testados em ensaios de campo.

"Nós selecionamos o GeoField pois ele é rápido, leve, simples de usar e totalmente personalizável para as necessidades de negócios da SEPA", relata Jonathan, "a Sigma Seven nos ofereceu uma abordagem altamente atraente, independente".

Conhecendo bem as necessidades do projeto, a SEPA identificou vários requisitos específicos para os computadores móveis. Eles precisavam ser uma solução com tudo incluído, ou seja, sem unidades auxiliares ou peças separadas. Eles tinham que ter precisão de localização por GPS de 5 metros ou menos; ser à prova de choque, pó e água; pesar menos de 1,2 kg; ter bateria com duração longa o suficiente para suportar um dia inteiro de trabalho no campo com uma única carga; e ter avançada tecnologia de tela.

Esses requisitos estreitaram um pouco o campo. E o vencedor que emergiu foi o Algiz 7, um tablet PC super-resistente, ultra-móvel do Grupo Handheld. O Algiz 7 ofereceu tudo que a SEPA precisava e mais, com um processador Intel de 1,6 MHz e um enorme disco rígido de 64 GB e 2 GB de RAM. O Algiz 7, com tela sensível ao toque MaxView legível sob luz solar de 7 polegadas e com Windows 7, também possui GPS embutido, comunicação wireless totalmente integrada e uma câmera de 2 megapixels. Ele pesa apenas 1,1 kg, e seu conjunto de duas baterias de 2600 mAh proporciona um dia inteiro de trabalho e ainda podem ser trocadas a quente (hot swap).

O PROCESSO DE TECNOLOGIA MÓVEL OFERECE VANTAGENS SIGNIFICATIVAS

Trabalhadores dispersos por toda a bacia do South Esk coletaram dados ao longo dos cursos d'água utilizando seus tablets e software, avaliando as fontes de poluição agrícola, bem como outros impactos na qualidade da água causados por fatores que incluem engenharia fluvial, espécies não-nativas e também boas práticas. Uma equipe separada pesquisou a mesma área, com caneta e papel. E os resultados exemplificaram as razões indicadas no início deste artigo.

A interface personalizada do software da GeoField remove campos e funções desnecessárias, assegurando a que a coleta de dados seja consistente para todos os trabalhadores, e de alta precisão. A abordagem consultiva e orientada à tarefa da Sigma Seven, incentivou o pessoal de operações de campo da SEPA a fornecer um feedback valioso dos ensaios, permitindo a SEPA realizar um ajuste fino da sua solução que, por sua vez, melhorou o desempenho do sistema no campo. "Trabalhar com a Sigma Seven nos permitiu interagir durante o desenvolvimento do aplicativo para que pudéssemos consolidar a forma como ele deveria ser", disse Jonathan Bowes.

A coleta de dados eletrônica praticamente elimina erros de digitação e outros erros, bem como problemas de legibilidade, perda dos utensílios de escrita e os efeitos do clima sobre a papelada.

A SEPA informou que o ensaio permitiu que o pessoal experiente de campo usasse o sistema "com raiva", em uma variedade de condições adversas, tais como: bacias de regiões montanhosas chuvosas e lamacentas, pulando cercas e muros, sendo derrubado e sofrendo avarias, vegetação densa e em seções íngremes de desfiladeiros dos rios.

O dados estão seguros dentro do hardware robusto do Algiz 7. As informações são coletadas e registradas em tempo real, e carregadas quase imediatamente nos sistemas da SEPA, que pode criar fácil e automaticamente relatórios e mapas, bem como uma trilha de auditoria completa. Então, sim, o processo é mais fácil, mais rápido, mais preciso e mais seguro. Mas o que isso significa no teste verdadeiro – economias?

A PROVA ESTÁ NAS ECONOMIAS

A SEPA foi capaz de comparar entre o trabalho na bacia de South Esk feito com computadores móveis e o baseado em papel, usando uma comparação direta ao andar 400 quilômetros de cursos d'água usando cada método. A economia de tempo foi surpreendente.

No procedimento baseado em papel, a coleta de dados em mapas de campo levou o equivalente a 16 dias de tempo de trabalho; a conversão de dados para uma planilha levou nove dias; a digitalização dos mapas de campo em PDFs levou 10 dias; e a importação os dados da planilha para o sistema SIG da SEPA levou 10 dias. Tempo total gasto (e pago): 45,5 dias e cerca de £ 8.000 em custos trabalhistas.

A mesma coleta e processamento de dados utilizando a tecnologia móvel – desde andar no campo até a integração no sistema SIG – levou oito dias de tempo de trabalho, total.

Isso representa uma economia de mais de 80 por cento dos custos trabalhistas – ou cerca de £ 6.400. Colocando no contexto do primeiro segmento do projeto, de apenas 14 bacias hidrográficas prioritárias, as economias trabalhistas estimadas são de £ 708.000. E, projetando para o projeto completo de 102 bacias hidrográficas, a economia pode ser enorme.

AVALIAÇÃO DIRETAMENTE DO CAMPO

É claro que focar em redução de custos não tem sentido se a nova tecnologia não for útil e o novo processo não for eficaz.

A SEPA tem descoberto que o novo sistema de captura e armazenamento de dados acelera muito o processo de melhoria ambiental. A SEPA captura e armazena dados de campo mais rapidamente e que são mais limpos, mas, ainda mais importante, ela pode enviar resultados de pesquisa e auditoria para os computadores do pessoal das áreas de ciência e regulatória, através de aplicações internas do SIG baseadas na internet. É aqui que as questões relativas a não-conformidades podem ser retificadas com proprietários de terras muito mais rapidamente, o que, teoricamente, traz uma resposta ambiental mais rápida.

Jonathan Bowes resume: "Todo o ciclo acelera."

E o feedback do campo tem sido altamente positivo. A SEPA relata que os trabalhadores descobriram que os tablets Algiz 7 são "úteis e eficazes na operação de um dia completo em terreno acidentado e remoto. E a captura digital de dados em mapas é uma alternativa eficiente, precisa, robusta e fácil de usar, em relação ao registro baseado em papel. ”

O relatório de feedback oficial da agência também menciona que o Algiz 7 é "leve, e um ajuste perfeito para sua mão", que a tela MaxView oferece "excelente desempenho na luz solar direta, com reflexão mínima", e que a vida útil da bateria permite que os trabalhadores " facilmente cheguem a um dia inteiro de uso com GPS em uma carga".

UMA NOVA DIREÇÃO PLENAMENTE JUSTIFICADA

O projeto-piloto apontou o caminho para um futuro racionalizado para a iniciativa da SEPA de avaliação da poluição. Depois de avaliar cerca de 12.000 quilômetros de rios utilizando o método tradicional de papelada, a SEPA está agora em transição para um sistema de captura puramente digital, com cerca de 26 tablets Algiz 7 combinados com o software GeoField Exchange, que irá se integrar ao Oracle Enterprise e aos bancos de dados espaciais da SEPA.

Por quê? Porque a nova tecnologia é mais fácil, mais rápida, mais precisa e mais segura. Mas principalmente porque ela vai economizar uma enorme quantidade de dinheiro. E não se pode argumentar com esse tipo de retorno sobre o investimento.

Deixamos as palavras finais para o Dr. Bowes: "O projeto tem atraído uma grande atenção em toda a SEPA, uma vez que este conceito de trabalho de campo sem papel é aplicável a quase tudo que fazemos. Potencialmente, pode revolucionar as partes principais do negócio da SEPA".