A magia do TCO

Olhando para além do preço de compra

Ao comprar computadores portáteis novos, a maioria das empresas pode cair na tentação de basear as decisões de compra só no preço da compra do produto. Mas como o preço da compra não reflete o custo real da unidade, esse poderia ser um erro custoso. Para avaliar corretamente o custo de um produto, precisamos ver o custo ao longo da vida útil do produto. Isso é conhecido como o custo total da propriedade do produto (TCO).

Inclusive se nós não conhecemos o termo, geralmente o aplicamos em outras áreas da nossa vida. Ao comprar um carro novo, a maioria dos compradores fará pelo menos uma breve pesquisa para conhecer o registro de consertos do veículo. Um carro barato que passa a metade do tempo na oficina mecânica não é negócio.

O mesmo acontece com os computadores portáteis. Os computadores levados fora de um ambiente de escritório seguro serão submetidos a um tratamento rude. As quedas, as vibrações, a água, a poeira e as temperaturas extremas são só algumas das condições a que um computador pode fazer face no campo. Parece lógico que você não levaria uma peça delicada de equipamento eletrônico para um ambiente adverso, mas isso acontece com mais freqüência do que se pensa.

Por quê? Porque muitos compradores de computadores portáteis ficam tentados com o preço da compra inicial mais barato ao comprar um equipamento que não é robusto ou minimamente robusto só pelo preço de compra mais barato, sem considerar os custos maiores de usar realmente esse equipamento no campo. Quando não se compra o tipo de unidade adequada para o trabalho e para o meio, se paga muito mais no longo prazo do que se inicialmente tivesse sido comprado um equipamento mais robusto, porém mais caro. Ou seja, a unidade mais cara realmente é a unidade mais barata.

Um investimento inicial maior geralmente pode ter um custo total menor

O TCO tem em conta todos os custos reais feitos durante toda a vida do produto. O TCO inclui os custos maiores (como o preço da compra, desenvolvimento, substituição e custos de instalação) e os custos menores (treinamento, custos de conserto e custos por não poder usá-lo). Como a maioria das organizações depende cada vez mais da sua força de trabalho móvel, os custos por falta de uso se tornaram cada vez mais importantes e caros. Se falhar um dispositivo de um serviço no campo ao começar o dia, a falta de receita pelo trabalho e o valor chave do cliente por todas as ligações de trabalho perdido podem ser substanciais.

Os computadores portáteis geralmente são classificados em quatro categorias: comercial, durável, semi-robusto e totalmente robusto. Uma unidade comercial tem pouca ou nenhuma proteção contra o meio ambiente. Os computadores duráveis geralmente têm só protetores de borracha e talvez um disco duro montado contra golpes. Os computadores semi-robustos são testados segundo algumas especificações MIL-STD-810F/G e IP e as unidades totalmente robustas geralmente são testadas para cumprir totalmente com as MIL-STD-810F/G e, em geral, são totalmente resistentes à água e à poeira.

Portanto, qual é a diferença no custo total de propriedade entre um dispositivo comercial e um totalmente robusto em um ambiente de contato razoável? A Venture Development Corporation (VDC) é uma empresa de pesquisas independente conhecida que se concentra nos computadores robustos. Ela fez cálculos de TCO nos 4 níveis de computadores robustos em uma quantidade de aplicações portáteis comuns. A VDC calculou o custo total para cada nível de robustez, em um período de vida útil de 5 anos, e depois calculou os custos anuais. Esses custos (divididos em custos maiores e custos menores) aparecem na tabela 1 abaixo. 

The magic of TCO

Figura 1 - Custos de TCO de 5 anos calculados anualmente

Da tabela surge claramente que o fato de usar um dispositivo comercial ou não robusto custará muito mais no longo prazo; perto de 65% mais por ano do que usar um dispositivo totalmente robusto.

Como isso é possível? Isso tem sentido se pensamos em todas as coisas que poderiam acontecer com um dispositivo não robusto no campo. Por exemplo, vejamos só os custos de substituição. Uma unidade totalmente robusta geralmente durará pelo menos 5 anos. Portanto, se comprarmos 100 unidades totalmente robustas, ao finalizar os 5 anos, geralmente, a maioria delas estará funcionando. Se comprarmos 100 dispositivos comerciais e os colocarmos em um meio adverso, as possibilidades são que nenhuma das unidades originais continue funcionando ao finalizar os 5 anos. E algumas dessas unidades deverão ser substituídas várias vezes ao longo do período de 5 anos. Quantos dispositivos comerciais será preciso comprar antes de igualar o preço de compra de uma unidade robusta? E isso nem sequer inclui alguns dos custos adicionais que tratamos, como custos por não poder usar o equipamento, os custos para que a unidade nova comece a funcionar e o custo para recuperar os dados perdidos.

Finalmente, é preciso avaliar com cuidado a sua situação de trabalho para determinar quais serão os seus custos totais de propriedade. Se o seu computador portátil não trabalha em condições ambientais adversas, uma unidade totalmente robusta pode ser mais robusta do que você precisa. Contudo, garantimos que o fato de comprar o nível adequado de robustez para o trabalho a ser feito e o meio de trabalho é o mais barato no longo prazo.